sexta-feira, setembro 16, 2005

TAVERNA VADIA

Na Taverna, saúdam-se os visitantes com uma dose de fado entremeada com as cordas de um virtuoso violino.

Sirva-se a embriaguez sonora.

A acompanhar com caldo tinto e vinho verde.

NOSTÁLGICA MADRUGADA



Mal as portas da Taverna se abriram, ainda em plena madrugada, eis que alguém surge para cumprir o seu rito diário num gesto único e incontornável designado pela casta ancestral por: “matar o bicho”.

Esta presenciada experiência fica para sempre registada na retina dos mais atentos.

sexta-feira, setembro 09, 2005

SAI UM JARRO DE TINTO

À saúde!

Os taberneiros convidam os ilustres visitantes para um copo.

É carrascão, mas é de graça!

GRANDE ABERTURA NA ALDEIA

Na Grande Aldeia, a azáfama é notória. A Taverna escancara pela primeira vez as suas portas. As mesas chegaram directamente da serração e os bancos corridos já estavam à sua espera.

Os copos estão lavados. É melhor aproveitar, porque depois o vinho fica entranhado e o que hoje é cristalino amanhã já é opaco.

Os taberneiros serão anfitriões da melhor casta, quais alvarinhos do mundo primaveril das tascas. Haja chuva, porque o vinho espera pelo inverno e o sol já é de outono, apesar de estarmos ainda no verão.

Bem hajam!

[OS TABERNEIROS]